Gilgamesh — Teatrização Antunes Filho

A trajetória de Antunes Filho exigiria que ele encontrasse um autor identificado totalmente com sua visão de mundo ou precisaria ou precisaria escrever os textos que estivesse disposto a encenar, para a perfeita unidade do espetáculo. O absoluto equilíbrio entre intenção e realização o diretor alcançou, ao tornar-se o dramaturgo de Gilgamesh, baseado no poema épico babilônico sobre o rei de Uruk, dois terços divinos e um terço humano, que viveu cerca de 2.700 anos antes de Cristo.

Os leitores de Gilgamesh não encontrarão uma peça convencional, vazada nos termos dos manuais de Dramaturgia, mas uma obra que serve admiravelmente à concepção de Antunes Filho. Nela se aliam de forma harmoniosa a narrativa e o drama, instaurando um ritual que atinge a essência do mito.

A adaptação cênica é fiel ao original, sem reduzir nenhum aspecto da aventura fantástica do rei de Uruk, em que há referências até ao dilúvio. Cada episódio, desenvolvido na escrita cuneiforme em doze tábuas de argila, encontra correspondência no palco e o encenador conseguiu o prodígio de concentrar as numerosas personagens da narrativa em apenas doze intérpretes, alguns dos quais se revezam em nada menos que quatro papéis.

Outras Informações:
Autor: Antunes Filho
Acabamento:Brochura com laminação brilhante e orelhas
Miolo:144 páginas PB em papel off-set 75 g/m²
Formato: 14,0 cm × 21,0 cm