Tekkon Kinkreet

Numa cidade de “ferro” e “concreto” (significado em japonês de Tekkon Kinkreet), vivem personagens também implacáveis e indomáveis. Kuro (o preto) e Shiro (o branco) são órfãos. Para sobreviver, eles
têm de roubar, lutar e se esconder em um mundo sombrio, solitário e corrupto, onde a própria cidade os afaga ou os despreza, como se fosse um ser vivo.

O soberbo desenho de Matsumoto, rico em pequenos detalhes, traduz fielmente o ambiente desta história que pode se tornar angustiante, mas que ao mesmo tempo nos emociona e nos liberta.
Vencedor do Prêmio Eisner de “Melhor Edição Internacional – Japão” em 2008. Tekkon Kinkreet foi adaptado para o cinema em um longa-metragem animado com direção de Michael Arias e produção do Studio 4º C/Sony. Em 2008, este foi escolhido como a “Animação do ano” pela Academia do Japão, além de vencer nas categorias de “Melhor História Original” e “Melhor Direção de Arte” na Tokyo International Anime Fair.

O mangá foi lançado originalmente no Brasil pela Conrad em 2001 com o título Preto e Branco (em 3 volumes). A edição da Devir traz a história completa, em um único e gigantesco volume de mais de 600 páginas, com acabamento primoroso em capa brochura e sobrecapa.